Inovação no ensino superior: como impulsionar sua IES

Tempo de Leitura: 4 minutos
aluna-e-professor-analisam-experimento-de-aula-da-universidade-no-computador

A competitividade está aí. E os reitores com potencial criativo e força para ousar já sabem que inovação é uma questão de sobrevivência para impulsionar sua instituição de ensino superior no mercado.

A ruptura das metodologias já consolidadas e a atualização permanente sobre as novidades do mundo da tecnologia são cruciais neste momento.

Para cumprir o objetivo de atendimento às necessidades atuais dos estudantes, as instituições de ensino precisam mergulhar no conceito de inovação. O processo de aprendizagem mudou. 

E os principais investimentos devem migrar para os novos softwares que garantem mais rapidez, agilidade e autonomia para alunos e professores. 

Por isso, preparamos este artigo para mostrar algumas iniciativas que vão dar o fôlego de que seu estabelecimento de ensino precisa.

Inovação, capacitação e novos papéis

Várias plataformas entregam soluções diferentes e inovadoras. O segmento de educação não pode mais caminhar lentamente para se adaptar aos novos tempos.

A pandemia acelerou a necessidade de desempenhar bem e continuar prestando serviços de excelência também virtualmente.

Para substituir algo que já é tradicional, conhecido e praticado há anos, será preciso enfrentar algumas resistências. Mas com isso bem administrado, é possível vencer o grande desafio da área, investindo em inovação.

É importante também capacitar os professores para assumirem novos papéis, em sintonia com o perfil mais imediatista das novas gerações. 

A devida capacitação dos docentes é importante porque o novo modelo de atuação exige o corpo docente pronto para atuar de forma diferente do que vinha fazendo até então.

Professores não devem mais ser os únicos especialistas donos do conhecimento e de certa autoridade diante dos alunos. 

O professor da era moderna tem a responsabilidade de agir como um facilitador dentro do processo de aprendizagem. Informação sobre um determinado assunto está na Internet e acessível a todos por meio de alguns cliques no celular ou tablet.

Já um profissional adaptado à função de mediar debates, promover discussões saudáveis e  criatividade, tirando o melhor de cada aluno, é figura indispensável nas salas de aula, sejam elas físicas ou virtuais.

Está nas mãos dos professores criar técnicas e explorar novos recursos para ensinar. A capacitação neste sentido é muito positiva e gera excelentes resultados.

Biblioteca virtual: Experiência única

Ainda como estratégia para impulsionar sua IES no mercado, devemos salientar que a nova realidade educacional prevê inovação na forma de proporcionar o enriquecimento da experiência acadêmica do aluno.

Uma das práticas cruciais é, como dissemos no início, a digitalização da biblioteca da sua IES.

A biblioteca virtual oferece uma série de vantagens aos estudantes. Suas funcionalidades especiais e recursos ajudam sobremaneira os alunos em sua jornada de aprendizagem.

Um dos benefícios mais interessantes é o fato de os estudantes poderem acessar o acervo completo e multidisciplinar, com atualizações permanentes e disponível 24 horas, on-line e off-line.

Além disso, a experiência do usuário numa biblioteca digital é única e completamente diferente da vivência em uma biblioteca física. A navegação neste tipo de plataforma é intuitiva e pode ser feita por meio de todos os dispositivos móveis e utilizando qualquer sistema operacional.

O acervo digital é composto por milhares de títulos que remetem a diversas áreas do  conhecimento como administração, marketing, engenharia, direito, letras, economia, computação, educação, medicina, enfermagem, psiquiatria, gastronomia e turismo.

Aliás, é importante que você saiba que mais de 400 instituições de ensino já adotaram este modelo de biblioteca. Com isso, hoje em dia, mais de 3 milhões de usuários são ativos. Sua IES não pode ficar para trás diante desta inovação. 

Sala de aula invertida

Se você pretende mesmo impulsionar sua IES no mercado, é preciso avaliar uma alternativa ao modo tradicional de ministrar aulas expositivas, com o professor à frente dos alunos fazendo anotações num quadro branco.

Estamos falando do ensino híbrido com inclusão do conceito de sala de aula invertida. Aqui a inovação é a possibilidade de o aluno e não mais o professor ser o foco principal na sala de aula. 

A proposta é que os estudantes tenham o primeiro contato com os conteúdos de seu interesse por meio do estudo prévio e ensino a distância. Eles recebem informações através dos meios digitais, como games, podcasts, videoaulas e fóruns.

Depois, em grupo na sala, o conteúdo já visto é aprofundado e debatido na turma. Numa terceira etapa, agora com conhecimento pleno do tema, o professor leva assuntos complementares aos alunos. Começa, então, o desenvolvimento de projetos específicos, descobertas e tarefas em conjunto. 

Flexibilização curricular

Também conhecido como interdisciplinaridade curricular, este conceito avança com velocidade, principalmente no Ensino Superior. 

Trata-se de uma inovação com grande poder para impulsionar sua IES no mercado. Ocorre que, hoje em dia, é urgente também que o modelo curricular se adapte ao dinamismo das mídias virtuais.

Atualmente, há milhares de formas e meios para alguém adquirir maior conhecimento. Neste contexto, as universidades não podem ignorar, por exemplo, o estudo sobre empreendedorismo - só para citar uma disciplina que atende às exigências dos alunos que precisam se desenvolver em certas competências para terem seu lugar ao sol no mercado. 

Instituições de ensino superior que pretendem dar uma guinada em seus processos internos por meio da inovação tendem a adotar uma visão pedagógica mais holística.

Somente assim, cumprirão seu objetivo de tanto preparar os estudantes para executar certas funções quanto de oferecer uma formação mais ampla, através de uma série de disciplinas que permeiem temas como política, cidadania, negócios e sustentabilidade, entre outros. 

Personalização do ensino

Com tudo que foi dito até agora feito, sua IES está a um passo da aceleração rumo à educação personalizada. Os estabelecimentos vivenciaram algo espetacular neste 2020, quando cerca de 1,5 bilhão de estudantes tiveram suas aulas suspensas no mundo e foram levados ao ambiente remoto para continuar tendo aulas. 

Quem já tinha realizado investimentos na educação digital foi beneficiado. A transição para o aprendizado digital e salas de aula mais personalizadas e aderentes às expectativas e necessidades dos alunos está sendo mais fácil.

O futuro é hoje. A convergência de 5G, realidade aumentada, personalização do ensino, inteligência artificial e democratização da educação, conceitos que até há pouco tempo eram tendências, batem à porta das IES mostrando-se como necessidades do presente. 

Gostou deste artigo? Então, fique por dentro das vantagens dos e-books na educação de ensino superior.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ler notícia Plataformas de Aprendizagem

Tecnologias digitais na educação: 6 motivos para aplicar na IES

05.ago.2021

Entenda a importância das tecnologias digitais na educação e conheça as principais razões para aplicá-las na sua instituição de ensino superior!

Ler notícia tecnologias educacionais no ensino superior jovem mulher aprendendo online em sua casa Plataformas de Aprendizagem

A importância das tecnologias educacionais para o avanço do Ensino Superior

03.ago.2021

O digital pode transformar a aprendizagem na instituição. Entenda as mudanças e praticidades que as tecnologias educacionais proporcionam para o Ensino Superior!

Ler notícia trilhas de aprendizagem tres colegas estudantes de diferentes etnias com notebook na mesa Plataformas de Aprendizagem

Trilhas de aprendizagem: você já conhece esse conceito?

29.jul.2021

As trilhas de aprendizagem combinam as necessidades dos estudantes com o conteúdo transmitido pelo discente. São fundamentais para o Ensino Superior.